top of page

Como evitar cair em golpes do Pix para o Rio Grande do Sul

Por Bruno De Blasi | Editado por Douglas Ciriaco | 07 de Maio de 2024 às 11h47


As enchentes no Rio Grande do Sul após fortes chuvas comoveram um país inteiro. De norte a sul, os brasileiros se mobilizaram para fazer doações para apoiar as vítimas da tragédia. Contudo, pessoas mal intencionadas se aproveitam da situação para aplicar golpes com o Pix — por isso, o Canaltech vai te ajudar a evitá-los.


Como não cair em golpes do Pix


Os golpes envolvendo Pix exploram a boa vontade e o momento de calamidade pública. Essas tentativas são reveladas através de anúncios em redes sociais, sites e mais, que solicitam transferências bancárias para apoiar a população gaúcha no momento de dificuldade. Essas quantias, no entanto, não são destinadas às doações ao RS.


Confira algumas dicas para evitar problemas:

  • Antes de digitar a chave do Pix no app do banco, verifique a procedência do pedido;

  • Se o pedido vem de uma rede social, confirme se o perfil é oficial;

  • Se a solicitação vem de um site, certifique-se de que você está na página correta;

  • Em conversas do WhatsApp, confira se a mensagem que você recebeu indica uma instituição credenciada e confiável

  • Confira sempre se a chave digitada no Pix é oficial;

  • Use o Google para pesquisar dados oficiais de empresas e organizações envolvidas na ajuda ao RS.


Confirme as informações antes de fazer o Pix (Imagem: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)


Na hora de realizar a transferência, confirme se a chave Pix realmente pertence à empresa ou instituição que vai receber o pagamento. Por exemplo, se você colocou a credencial da “Companhia A” e na transferência aparece o nome “José da Silva”, não complete a transação antes de confirmar que está tudo certo. 


Vale lembrar, entretanto, que ONGs, grupos de apoio, igrejas, centros espíritas e afins por vezes utilizam contas de pessoas físicas para receber doações — ou seja, não é porque a chave é de um CPF que será, necessariamente, um golpe. Porém, a dica é sempre a mesma: antes de enviar o dinheiro, entre em contato com a instituição e confirme a chave.


“É importante desconfiar de solicitações de Pix que não estejam relacionadas a organizações reconhecidas de ajuda humanitária, como ONGs ou entidades governamentais”, explica ao Canaltech a advogada e sócia do escritório Poli Advogados, Daniela Poli. “Sempre verifique a veracidade das informações e evite compartilhar dados pessoais ou bancários por meio de mensagens suspeitas.”


Caí em um golpe do Pix e agora?


Em entreivsta ao Canaltech, o advogado e fundador da Carvalho de Machado Advocacia, Mozar Carvalho, orientou a entrar em contato com o banco imediatamente para relatar o incidente e pedir o cancelamento da transação. Também é importante procurar uma delegacia e registrar um boletim de ocorrência.


CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE


A mesma orientação é dada pelo Banco Central do Brasil (BCB). O órgão explica que, com o registro do golpe, o banco deve registrar uma notificação de infração no sistema do BCB para bloquear os valores da conta de destino da transferência. Nesse momento, as instituições envolvidas começam a analisar o caso para aplicar as tratativas.


“Após sete dias, se for comprovado o golpe ou a fraude, o seu dinheiro será devolvido em até 96 horas”, informa o BCB em seu site. “Caso não haja saldo suficiente para efetuar a devolução total dos valores, até o prazo máximo de 90 dias da transação original, a instituição de relacionamento do recebedor deve monitorar a conta e, surgindo recursos na conta, deve efetuar devoluções parciais.”


Caso não tenha solução dessa forma, o BCB orienta a procurar o Procon ou o Poder Judiciário. Outra medida seria registrar uma reclamação no sistema do Banco Central para buscar uma conciliação com intermediação do órgão.


Como doar via Pix e com segurança ao Rio Grande do Sul


O primeiro passo para doar com segurança é buscar instituições reconhecidas ou confirmar as informações antes da transferência. Alguns braços governamentais também disponibilizaram meios para receber doações, como a chave Pix do governo do Rio Grande do Sul:


  • Chave Pix CNPJ: 92.958.800/0001-38

  • Titular da conta: Associação dos Bancos no Estado do Rio Grande do Sul ou Banco do Estado do Rio Grande do Sul (podem aparecer as duas opções, informa o governo do RS)

  • Banco: Banrisul



Comments


bottom of page